Hahaaa! Charade you are!

Sabe aquela sensação de estranheza quando você vê Claudinha Leite se apresentando num megaevento chamado Rock in Rio? As vezes sinto o mesmo quando eu vejo uma imagem mais do que alterada postada por alguém que se intitula fotógrafo.

Antes de começar a atirar pedra, leia o texto inteiro. Quero começar falando que muitas formas de arte são válidas, inclusive a novíssima arte digital. Novíssima porque se comparar a DaVinci por exemplo… tem um gap bem grande de tempo. O que hoje me incomoda fez parte da minha rotina há pouco mais de um ano: eu era em muitos casos um artista digital me chamando de fotógrafo. É complicado falar disso porque dá margem a intermináveis argumentos. O principal deles é o de que toda a fotografia é manipulada. Até mesmo as fotografias analógicas eram manipuladas na pós-produção.

Já coloquei aquele sol artificial em algumas imagens. Tudo bem que com a Jenny em primeiro plano, quem liga pro sol?

Tem uma modinha aí pra impressionar leigo (que eu cheguei a aderir, confesso) que mostra o lugar onde a fotografia foi feita e o resultado final. Poça da água encabeça o ranking da categoria. O lugar as vezes é feio pra caramba (ou sem graça), mas na imagem final parece o portal do paraíso. Essa é uma das magias da fotografia e quase sempre a assinatura do fotógrafo: transformar o local através de seu olhar. Só que a coisa tem tomado proporções tão alheias que, na maioria das vezes, perde totalmente o encantamento. O que eu tenho visto é que fotógrafos enfiam a modelo num matagal ou em meio a daninhas que crescem na calçada ou quintal, fazem uma foto bem bosta e aí começa o processo industrial. O primeiro deles é aumentar o contraste. Depois, do nada aparece um sol artificial bem no canto da tela. A imagem até que fica boa, mas vocês vão me perdoar, não é uma fotografia. O termo fotografia vem de “foto” que significa “luz” e “grafia” que é a “escrita”. Então quando você fotografa, você escreve com a luz. O verdadeiro fotógrafo é aquele que faz miséria com a luz, ou sabendo aproveitar a luz que o ambiente lhe proporciona ou criando um setup de flashes ou tochas para fazer a mágica acontecer. Quando existe exagero ou inclusão de elementos na imagem, deixa de ser uma fotografia e se torna uma obra de arte digital. E sabe de uma coisa? Não há problema algum nisso, desde que dado os nomes certos.

Hoje gosto de esperar pelo sol de verdade.

Outro exemplo que tenho visto bastante é a vontade bizarra que o brasileiro tem de transformar o background em uma paisagem europeia. A pessoa vai lá, fotografa modelos naquele matagal verdinho, os modelos vestidos com roupas de verão, aí descarrega no pc e a primeira coisa que faz é… deixar as folhas das árvores marrons, como se ninguém fosse perceber que aquilo foi mudado digitalmente. E claro, coloca aquele sol artificial bizarro no canto. Ainda tem a coragem de postar a imagem com o texto: “olha a foto que eu fiz!”. Olha a arte digital que você fez, né amiguinho ou amiguinha? Pouquíssimos lugares no Brasil tem vegetação dessa cor. Outra coisa, as árvores ficam nessa coloração geralmente no inverno. Melhor agasalhar melhor os seus modelos. Apesar de já ter perdido a graça esse tipo de alteração na fotografia, ainda assim é uma forma de arte digital.

Unreal

Ou combinar a luz natural com um setup de flash

Eu tiro meu chapéu pra pessoa que é boa em Photoshop. Confesso que não sou. Não é fácil criar belas imagens digitais, mesmo sendo a partir de uma fotografia. O fato é que muitas vezes o pseudo-fotógrafo, no momento de fotografar, está mais preocupado com a pós-produção do que com a qualidade da captura da imagem. Se você bate no peito pra dizer que é profissional de fotografia, o seu esforço deve estar todo direcionado para o momento da captura da imagem. A fotografia deve sair da câmera quase pronta. Correções digitais são válidas sim, e muito. Mas o que eu vejo nessa nova geração de pessoas que se intitulam fotógrafos é cada vez mais fotografias sem mensagem, preguiçosas e o uso abusivo de templates e presets na tentativa frustrada de criar algum impacto.

Se você quer ser um fotógrafo de verdade estude bastante, fotografe bastante e exija bastante de si mesmo. E se você quiser ser um artista digital estude bastante, pratique bastante e exija bastante de si mesmo. Tudo requer esforço e autocrítica. Em outras palavras, ou você se dedica ou continua achando que impressiona alguém com o seu solzinho artificial.

Clique aqui e leia mais artigos do nosso blog de Estilo & Comportamento

Pin It on Pinterest