Como começar a empreender no ramo da moda

Neste artigo eu vou falar para um público que vem ganhando força quando o assunto é empreender em moda. São pessoas que se enquadram nas seguintes situações: por algum motivo acabou se desligando de um emprego formal ou que querem complementar a renda familiar revendendo peças e acessórios. Em outras palavras, este artigo não é pra quem tem uma bela fortuna sobrando e pode apostar todas as fichas no business. Pelo contrário. Sei que quem está numa situação na qual precisa complementar renda ou perdeu o emprego formal quer fazer investimentos certeiros, afinal, se perder aquela grana, vai ser dureza pra recompor o prejuízo.

Primeiro vamos entender um pouco a forma como você pensa o seu negócio. Se você tem uma visão do tipo “ah, vou comprar umas peças no Brás pra revender e vamos ver no que vai dar” eu sugiro fortemente que você pare de ler esse artigo. Esse conteúdo não é pra você. Mas se a sua linha de pensamento é “eu vou fazer dar certo custe o que custar”, continue a sua leitura. Se você acredita no seu negócio e acredita que ele é relevante para o seu público-alvo, esse é um pequeno – porém importante – passo para a prosperidade da sua brand.

Partindo do princípio que você mergulhou de cabeça no seu ideal de empreender no ramo da moda, vamos para o conhecimento. O ponto de partida aqui é: tenha consciência de que você vai precisar investir tempo e dinheiro. Se você já tá fechando esse artigo e indo chorar em posição fetal no chuveiro porque não tem tempo e nem dinheiro, se acalma, senta aí que eu vou te provar que sim, você consegue arrumar tempo e arrumar dinheiro.

O fato é que você se habituou a um estilo de vida que precisa ser revisto, pelo menos por enquanto, até que seu negócio se retroalimente. Eu mesmo demorei a entender isso e mais pra frente vou te dar um exemplo pessoal. Mas vamos falar de você. Considere abrir mão de alguns hábitos que vão tomar tempo e dinheiro. Se você gosta de passar o final de semana em baladas, festas, bares e afins, vá uma vez por mês, de leve, só pra desestressar. Pra ser generoso, vou considerar que você saia somente aos sábados. Aí coloca na ponta do lápis o que você gastou com o deslocamento e o seu consumo. Te garanto que não saiu por menos de R$150,00. Novamente, estou sendo generoso e chutando bem baixo. Aí multiplique por 4 finais de semana num mês, foram pelo menos R$600,00 que você gastou pra ter um prazer momentâneo. Se você considerar sair uma vez por mês, serão R$450,00 que você economizou. Se você pega essa grana e investe em tráfego pago por exemplo, já vai conseguir atrair bons leads para o seu e-commerce.

Apesar de ser bom na cozinha, eu detesto cozinhar. Por isso criei o hábito de comer fora. Gosto de ser servido, da comida já vir pronta, feita na hora (assim espero pelo menos, né) e principalmente de não ter aquele monte de panela pra lavar depois. Hoje mesmo inclusive eu fiz isso. Fui num restaurante que fica bem pertinho do estúdio da Echoes. Restaurante super popular, sabe? Aquele que de manhã é uma padaria, depois das 11 da manhã vira restaurante e a noite é boteco. Comidinha gostosa, mas sem muita frescura. Fui pagar a conta e deu R$41,00. Um filé de frango à milanesa e uma Coca. Hoje foi um dia atípico em que eu precisei comer fora. Mas no passado isso era um hábito. Nem café da manhã eu tomava em casa. Até que eu parei pra mensurar o quanto eu tava gastando com alimentação por mês e o valor ultrapassou os 4 dígitos! É isso mesmo, eu gastava bem mais de mil reais por mês com alimentação. Calma que vai piorar. Eu ainda pensava mil vezes antes de investir R$300,00 no meu próprio negócio.

As coisas começaram a dar certo pra mim quando eu decidi que iria abrir mão de um prazer pra realizar um sonho. Eu percebi que perto do que eu alcancei, cozinhar em casa não foi um preço tão alto a se pagar.

Mas vamos sair da esfera do dinheiro e vamos falar do tempo. Se você leu esse artigo até aqui, já fez um grande investimento do seu tempo. Quanto mais conhecimento você adquire, maior é sua capacidade de resiliência. Pra ficar claro: invista tempo para aprender empreendedorismo, vendas, marketing e persuasão. Em paralelo a isso você tem que iniciar um processo de construção da sua marca. Esse processo leva um tempinho, mas eu arrisco a dizer que se você se dedicar com garra, em pouco mais de um mês você já vai ter um alicerce bom para dar o pontapé inicial no seu negócio no ramo da moda. E mais uma vez eu insisto: troque prazeres momentâneos pelo investimento no seu sonho. Trabalhe de domingo se for preciso (e na maioria das vezes é).

Eu quero concluir esse artigo colocando os seus dois pés no chão. Aqui usei muito o termo “sonho”. Como diz um empreendedor amigo meu: “quer sonhar? É só dormir que você sonha”. Entenda que quando eu falo de sonho eu me refiro a uma meta, um ideal, uma conquista. Quando a gente sonha, a gente floreia a realidade. Então trace uma meta, mas faça isso sabendo que o caminho não vai ser fácil. Cedo ou tarde vai bater um desespero, uma sensação de estar enxugando gelo. No momento de exaustão, o seu lado emocional e racional já tão saindo na porrada. Um pensamento muito comum é “eu to trabalhando feito um filho da p*** e nada acontece”. Como eu disse, é uma construção e as coisas podem demorar para acontecer. Continue no seu caminho pois as coisas boas acontecem pra quem não fica parado.

E se você quer saber mais sobre como construir a sua marca de moda e outros assuntos relacionados a empreendedorismo, acompanhe as próximas postagens no nosso blog.

Um forte abraço e bons negócios!

Obrigado por acessar o blog da Echoes Fotografia. Veja a seguir mais artigos que possam ser de seu interesse:

Sobre o autor deste artigo:

Diego Fernandez

Diego Fernandez

Natural de São Caetano do Sul, Diego Fernandez é fotógrafo profissional desde 2012. Começou sua carreira trabalhando com tecnologia, porém nunca deixou de lado sua paixão pela fotografia. Tem por vocação fotografar pessoas, por isso sempre enveredou para retrato e fotografia de moda. Foi inspirado principalmente por fotógrafos latinos e europeus como Sebastião Salgado, Mário Testino e Peter Lindbergh.
Diego Fernandez

Diego Fernandez

Natural de São Caetano do Sul, Diego Fernandez é fotógrafo profissional desde 2012. Começou sua carreira trabalhando com tecnologia, porém nunca deixou de lado sua paixão pela fotografia. Tem por vocação fotografar pessoas, por isso sempre enveredou para retrato e fotografia de moda. Foi inspirado principalmente por fotógrafos latinos e europeus como Sebastião Salgado, Mário Testino e Peter Lindbergh.

© Copyright 2023 – Echoes Fotografia. Todos os direitos reservados.